Nomear


Parece haver uma magia antes da música ocupar seu espectro, quando a sonoridade na condição de vir a ser estabelece a tensão entre o que ainda não existe e o que virá colorido na qualidade de som, essa propriedade que faz da palavra inútil, tosca e vulgar ao pretender desesperadamente descrever o que não dá conta.

Acreditar


Na trama que se desdobra sob a secura de cegar do sol cada um carrega furtivamente o pretexto que faz parecer legítima a intenção de continuar, de seguir representando o que imagina saber, mesmo sem ver, o que essa ilusão não permite ter. 

Multiplicar


A câmera duplica o frame que abriga um pedaço visível de um instante, põe e sobrepõe a figura traçada durante a jornada binária entre os circuitos e cria um mundo que contém o próprio mundo sem se parecer com ele.

Pintar


A artista balançava no céu a cada ataque de tinta que desferia contra a parede que era cinza, que não tinha olhos, bocas e nem acenava lá do alto para a cidade.

Escapar


Apertou o passo entre as criaturas da noite e depressa atravessou a floresta urbana de estímulos e seus rastros de significado, aqueles lampejos de sentido que jamais teria a audácia de tentar reconstruir quando estivesse fora dali.

Duvidar


Levou para o topo do morro a indagação sobre as certezas que lhe diziam com tanta desenvoltura na terra baixa, a dúvida tornada muda pela obrigação de expressar o que não é verbalizável. Lá de cima, imóvel e insignificante, assistia ao teatro de um vasto mundo que cobra ingresso para entrar e para sair.

Localizar


Alçado ao céu para os dias que correm, o marco do tempo no espaço cria o lugar que guarda a lembrança, se faz espelho da memória, da cronologia presente e inevitável do vivido.

Durar


Passava pelo baile da noite e não despregava os olhos das faíscas da dança, do movimento do sopro de um instante que a terra há de comer.

Amanhecer


Em um espaço da manhã da cidade, é verdade, a cor trepa com a luz e elas ficam fornicando até o sol a pino declarar que agora é diferente, que podem parar com aquilo.

Equivocar


Saiu da sala luminosa e ficou imobilizado quando as promessas foram sugadas por uma escuridão de textura infinita, pontilhada por significados invisíveis aderentes a sua total falta de compreensão, que persistiam em se parecer com o que nunca poderia esquecer e presumir saber.

Noturna


Os perfumes da madrugada exalavam entre as luzes do céu e levavam seus segredos embora. Era o fim de um começo que por fim se iniciava.

Retirar


Na solidão, enquanto o mundo inteiro celebra suas maravilhas e almas caridosas te convidam para participar, vem o pensamento de que estar lá seria um atentado contra o indizível, como forjar um significado para o que parece não ter significado e estragar a festa.

Urbanos


Aquele acontecimento, o ritual das vidas que tocavam a cena, estava lá visível a poucos metros, do parapeito da ponte até a altura que se acaba no lixo e no movimento reciclável das mentes que andam, param e guiam carros que queimam fósseis.